14

Cartão scrapbooking

Cartão que eu acabei de fazer com o carimbo da Sarah Kay!!

Eu ameiiiiii, espero que vcs gostem tbm!




0

Cartão scrapbooking

Olá amigas, bom este cartãozinho fiz para dar de presente a minha prima,
que faz aniversário amanhã!
Feliz aniversário Ana Julia....
Espero muito, muito que ela goste!
E que tbm  vcs todas gostem e aprovem o meu trabalho.

2

Album gaiola scrapbooking

Olá pessoas lindasss!!!
Fiz esse mini album para minha mãe...

É o 1º mini que eu fiz!

Espero que todas gostem!!
1

Caixa scrap decor

Olá amigas, bom essa caixa foi uma amiga quem fez!!
O nome dela é Juliana, essa é a sua 1ª caixa em scrap decor!
Se Deus quiser ainda virão muitas e muitas né Ju??


Ju, meus parabéns, ficou show!


0

Caixa decorada

              Oi pessoal!!!
             Acabei de fazer esta caixinha de bis decorada para dar de presente a minha
          sobrinha ISABELA.
              Ameiii fazê-la, espero que todas vcs possam curtir essa nova idéia!!

             Abraços...





  
1

Caixas lembrancinhas de casamento

Caixas que eu fiz sob encomenda, para Geyse.
Espero que vcs tenham gostado muitooo!!!!



Um abração a todas que visitam meu blog!





0

A história do Scrapbook.

Postagem do blog *Art by Cris * sobre a História do Scrapbook.

O scrapbook invadiu a minha vida. Fui completamente fisgada, para sempre!!!! O scrapbook, ou álbum decorado, como é popularmente conhecido, “vicia”. Simplesmente, porque encantam quem se envolve com a atividade.

Há algum tempo atrás resolvi pesquisar sobre a história do scrapbook. Queria saber mais sobre essa minha paixão, onde surgiu, quando, como, etc. Iniciei minha pesquisa pela internet, pois, infelizmente, não encontrei muitos livros sobre o assunto.

Os primeiros registro que encontrei dão conta que o scrapbook surgiu no século XVII na Alemanha, depois na Inglaterra e, posteriormente, espalhou-se por toda a Europa, Austrália e Estados Unidos.

No século XVII, existia o “Commonplace Books”, um tipo de “álbum” onde as pessoas escreviam poemas e anotações. Havia também, um outro tipo, conhecido como o “Álbum dos Amigos”, nesse eram guardados os pensamentos e as recordações, sendo, inclusive, costume na época, colecionar cabelos de amigos como lembrança.

Os primeiros trabalhos conhecidos foram feitos com pedaços de tecido e papéis decorados, colados nas páginas de um livros ou caderno. Nesses, as pessoas anotavam as viagens feitas, os amores escondidos, os espetáculos assistidos, ou seja, todos os momentos vividos. E para dar mais vida a estes “registros”, ilustravam as páginas com tickets, papéis, tecidos, rótulos e o que mais encontravam e queriam guardar como lembranças.

Nos Estados Unidos, a arte do scrapbook chegou há mais de cem anos, desenvolvendo-se, principalmente, no norte, em regiões como Salt Lake City, em Utah, onde se concentram muitas famílias da religião Mórmon, haja vista que esta religião valoriza a preservação da história de seus descedentes.

Os Mórmons quando viajavam, enviavam às suas familias lembranças de lugares que eles conheciam e seus familiares montavam os “álbuns” , dai surgiu o nome “scrapbook” ou livro de retalhos.

Os primeiros álbuns, nos anos de 1800, as pessoas colecionavam citações, poemas, cartões religiosos, recortes de jornal e outros elementos que representassem algum momento especial ou pessoa querida, mas não continham fotografias, pois as máquinas fotográficas não existiam na época.

Thomas Jefferson está entre os primeiros americanos mais famosos a fazer álbuns de recortes. Ele criou uma série de álbuns cheios de recortes de jornal que falavam sobre seu mandato para referência futura.

Em 1825, foi impresso o primeiro livro de scrapbook chamado ”The Scrapbook”. Nele foram publicadas idéias de como usar recortes de jornal para preencher um álbum em branco.

No entanto, o scrapbook tornou-se popular depois da publicação de um livro chamado “Manuscript Gleanings and Literary Scrap Book” de John Poole, em 1826. Este livro era uma coleção encadernada de poemas impressos e gravuras, além de conselhos sobre como conseguir organizar os scraps. Mas, o que eram os scraps, na época?

Os scraps eram pedaços de papel impressos, freqüentemente cobertos com desenhos enfeitados. O mais interessante é que os adesivos remanescentes dos scraps do século XIX ainda podem ser adquiridos em lojas de scrapbook e em websites como o “violette stickers”.

Um colecionador de scraps via quase tudo como material possível de se tornar scrap e usava essa grande variedade de elementos em seus scrapbooks, incluindo recortes de jornais, anúncios publicitários, retratos de gravuras e pedacinhos de versos.

Por volta de 1850, a sala de desenho do scrapbook era o centro das discussões e trocas sociais. Estes locais eram usados para compartilhar pensamentos e sentimentos e tornaram-se lugares para se gravar histórias familiares e memórias especiais. Foram criados livros que eram mantidos em família por muitos anos. Neste momento, criar livros de recorte virou moda entre os americanos de classe-média.

As razões para se fazer um “álbum de recortes” naquela época são as mesmas até hoje, expressar pensamentos e sentimentos, preservar memórias, guardar momentos especiais. Os álbuns foram e ainda são estimados e mantidos por todos, como um tesouro.

Com o aumento do interesse das pessoas pelo scrapbook os fabricantes destes materiais correram para atender a demanda e começaram a produzir uma enorme variedade de produtos que poderiam recortados e colados nos álbuns.

A diferença básica entre os primeiros álbuns de scrapbook e os de hoje são as fotos. Atualmente, as fotos são o elemento principal de um álbum, ao contrário do que foi um dia, pois, somente quando a primeira câmera foi inventada, que as fotos de família foram aparecer nos álbuns. Ou seja, a invenção da fotografia mudou completamente o modo como as pessoas faziam seus álbuns de recortes.

O advento da fotografia remonta à década de 1820 com a primeira fotografia permanente, criada pelo francês Joseph Nicéphore Niépce. No entanto, o ano de 1839 que ficou conhecido como o ano de nascimento da fotografia.

A fotografia ainda não era muito comum, mas as pessoas passaram a guardá-las como recordação, inclusive dentro destes cadernos e álbuns de memórias. E foi assim que iniciou-se o processo que conhecemos hoje.

Durante meados de 1857 as empresas começaram a produzir álbuns de couro com páginas impressas dedicadas a vários temas. Estas páginas eram decoradas com imagens de pássaros e flores, bem como tinham espaço para colocar fotografias e para fazer pinturas de aquarela e desenhos com lápis.

Muitos avanços em chapas de vidro fotográfico e impressão foram feitas em todo o século XIX. Em 1884, George Eastman desenvolveu a tecnologia de filme para substituir placas fotográficas, levando a tecnologia usada por câmeras de filme hoje. Com a produção em massa da “Brownie” da Kodak, uma câmera projetada para ser simples e barata, e de filmes em rolos ocorreu a revolução da indústria fotográfica.

Com a modernização do processo fotográfico, consequentemente, com a popularização da fotografia, a quantidade de álbuns de fotografia aumentou consideravelmente.

No entanto, o scrapbook começou a perder sua popularidade no início de 1900, devido às restrições econômicas que se seguiram à Primeira Guerra Mundial. A recessão que se seguiu, forçou muitas empresas relacionadas ao scrapbook sair fora dos negócios. Mas, foi nesta época que Mark Twain inventou um bloco de rascunho autocolante. Ele patenteou a sua invenção e por volta de 1901 podiam ser encontrados 57 tipos de álbuns diferentes.

O ano de 1980 foi decisivo na história do scrapbook moderno, como conhecemos hoje, pois, neste ano, Marielen Christensen compartilhou 50 volumes dos livros de memórias de sua família na Conferência Mundial sobre recordes, em Utah. Os álbuns geraram tanto interesse que a família Christensen abrir a primeira loja de varejo “Keeping Memories Alive”

A partir de 1990, com a explosão de publicações sobre idéias e materiais, que o scrapbook ganhou velocidade e se tornou um dos mais crescentes passatempos da América. Graças a Internet o scrapbook passou a ganhar popularidade no restante no mundo. O número de sites cresce rapidamente, assim como o de lojas. Tudo isto faz girar e crescer uma indústria cada vez mais promissora.

A revista Time Magazine publicou que essa indústria cresceu de $350 milhões no ano de 1998 e duplicou de tamanho entre 2001 e 2004, para 2,5 bilhões dólares, com mais de 1.600 empresas de criação de produtos de scrapbook em 2003. De 2002 a 2004, as vendas de produtos de scrapbook aumentou mais de 27% nos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, o scrapbook superou o golfe na popularidade. Uma a cada cinco famílias americanas tem alguém que joga golfe para uma a cada quatro, tem alguém que faz scrapbook.

No Brasil o scrapbook é uma prática relativamente nova, mas que a cada dia conquista um público cada vez maior.

Em Belo Horizonte/MG, somente em novembro de 2005, nasceu a Rota do Papel , a primeira loja de scrapbook.

Fontes:
Revista Arquivo Scrap
www.scrapbookbrasil.com.br
http://forum.digiscrappersbrasil.com.br/showthread.php?66-Hist%F3ria-do-Scrapbooking
http://memoriasdecoradas.blogspot.com/2008/05/histria-do-scrapbooking-by-michelle.html
http://fiberartblog.wordpress.com/2009/11/22/a-historia-do-scrapbooking/
http://www.temaseiros.com/359484125-historia-do-scrapbooking
http://pt.wikipedia.org/wiki/Scrapbooking
http://www.rotadopapel.com.br/principalscrapbooking.htm
http://artscrap.wordpress.com/um-pouco-de-historia/
3

lembrancinha de aniversário ballet

Caderninho de lembrancinha feito para Dani!!



1

Caderno scrapbooking

Caderno de notas  feito com muito carinho para uma pessoa maravilhosa!!
FAH!!!

0

Agenda scrapbooking

Olá pessoal, esta é uma pequena agendinha simples, que eu fiz de amostra para
Romilda!!

Essa agendinha será a lembrancinha do aniversário da netinha dela!!
Espero que vc goste Ro!!!